sábado, 28 de dezembro de 2013

Capitulo 12



---
Demetria entra no apartamento, apressada, com seu vestido preto justo no corpo, mas sem decote e nada curto, ouviu o telefone tocar, e deixou cair na secretaria eletrônica.
- Oi, você ligou para o casal feliz – dizia a voz de Joseph, Demetria suspirou irritada, e colocou a bolça em cima da bancada – não podemos atender porque estamos namorando agora – agora era a voz dela, ela revirou os olhos e pegou o celular – é, fazendo nosso casamento dar certo – a voz dele de novo, ela ignorou, digitou alguma coisa no celular enquanto tirava os sapatos – deixe o seu recado – os dois falavam juntos – Oi, aqui é a Beth, falando do consultório da Dr. Thutey – dizia agora uma voz doce, Demetria pegou o telefone.
- Alô – disse ela.
- Srª. Adam?
- Sim.
- A Dr. Teve que cancelar a sessão de hoje – pediu silencio para o Joseph, que estava ao seu lado, era uma da “amigas” do Joseph – pode vir na sexta?
- Você tem algum horário depois das três?
- A Dr. Pode as 4 horas – disse ela.
- Ah, que ótimo – disse Demi, suspirando aliviada – perfeito, pra mim esta ótimo.
- Ótimo, então ate sexta.
- Tchauzinho.
- Obrigada – Demetria desligou.
- Ela acreditou – disse para Joseph.
- Lindo, lindo – disse Joseph.
- Você me deve uma – disse ela.
--
- Can anybody out there hear me? Cuz I can't seem to hear myself. Can anybody out there see me? Cuz I can't seem to see myself […] (8) – canta Demetria enquanto toma banho em sua banheira.
Joseph, pega a carteira de Demetria na bolsa, e sai. Ela escuta a porta bater, se enrola na toalha e sai do banheiro.
- Ola? Joey? – pergunta ela. Ela sai chamando por ele, e ouve ele gritando um taxi. Olha pela janela, sai bufando, pega o celular e liga para a Dr. Thutey.
- Aqui é Dr. Thutey.
- Oi, aqui é a Demetria Adam.
- Sr. Adam – a corrigiu. Demetria riu.
- Oi, eu recebi uma ligação da secretaria, que a nossa sessão tinha sido cancelada hoje, eu queria confirmar isso.
- Sua sessão não foi cancelada, sua ausência será considerada desacato ao juiz.
- Aé? – diz ela super nervosa.
Desliga e coloca a primeira roupa que vê pela frente, uma regata branca, uma calça social também branca, uma sapatilha dourada, deixa o cabelo preso do jeito que estava, um coque mal feito, pega uma blusinha meia estação dourada, e sua bolsa da mesma cor, e corre para pegar um taxi.
Quando Joseph tinha conseguido um taxi, Demetria o empurrou com tudo, e entrou.
- Cretino, quase me fez perder a terapia – indicou correndo o endereço ao motorista – pisa fundo – ela começa a rir, Joseph a liga – o que foi?  - diz revirando os olhos, nervosa.
- Oi, boa sorte para pagar o taxi sem sua carteira – diz rindo.
- Só cinco dólares? – ela olha para trás e o vê com a carteira na mão – você roubou a minha carteira?
- Perdeu a carteira é? – perguntou o motorista, parando o carro bruscamente – pode sair.
- O que você quer? – Joseph começa a correr – podemos fazer um acordo.
- Me mostra seus seios – diz ele.
- O que? – ela pergunta incrédula.
- Ficaria surpresa de quantas vezes isso acontece – diz ele revirando os olhos.
- Ta bom, só um seio – diz vendo Joseph se aproximar – só vai ver isso.
- Ta bom – ele continua, Joseph bufa – nada como um belo seio.
- Você é maluco – diz ela com olhar de nojo.
- Eu gosto de seios, me processe.
- Não da pra sair daqui em? – pergunta ela, quando o carro para em um congestionamento.
- Olha bem, acha que da pra sair? – pergunta o taxista. Ela olha pro lado e vê Joseph passando de skate. Ela sai correndo do carro, para em uma barraquinha que tinha na calçada.
- Quantos custa 10 disso? – pergunta já colocando no saco, correndo.
- 5 por 2 dólares – disse o vendedor de laranjas.
- Eu te dou 5 – disse já pegando.
- Tudo bem.
Ela continua a correr. Começa a jogar em Joseph ate ele cair no chão, e o acerta bem no meio das pernas, quando já esta no chão. Da um pulinho, sorri, e corre. Vê um daqueles ônibus de excursão e entra no meio da multidão. E pega uma carona.
Ela esta sentada em um dos bancos rindo, quando Joseph aparece ao lado dela.
- Esse lugar não ta vago né? – ele diz, e tenta passar por ela para sentar no banco, sentando e se esfregando nela.
- Você é tão imaturo – disse ela empurrando ele.
- Com licença moça, por favor – diz ele passando. Ela começa e chuta-lo – ai moça, ta doendo, moça – diz ele ironizando.
Quando o carro para, ela desce primeiro, correndo. Ele vai logo atrás. Ela passa em um parque, onde família fazem piquenique, correndo. Ela pega uma taça de uma moça, com champanhe.
- Me da um pouco – depois joga a taça de volta.
- Ei.
- Me da isso aqui – ela passa no meio de outra família e pega uma baquete.
Joseph pega outra, e começam a lutar correndo. Ele cai, e ela continua correndo. Ele consegue alcança-la, correm um ao lado do outro.
Eles passam por arvores, folhas caem nos cabelos. Ele tenta subir no muro, mas ela o puxa. E os dois começam a subir juntos. Eles pulam o muro juntos, e chegam na sala, um empurrando o outro, e sentam ainda se empurrando, sorrindo forçado para o psicóloga, que só anota.
- Sai da minha frente, seu idiota – diz empurrando ele.
- Ai – grita ele.

--------
Eai gatinhas? Estão gostando?
To meio apressada ultimamente, não esta dando nem pra ler os blogs que eu gosto  :(
Mas tudo bem, espero que gostem. Xoxo  :*

4 comentários:

  1. Amei o capítulo, mt boa a corrida dos dois *-*
    Como sei que não virei amanhã... Feliz ano novo adiantado!
    Beijoos :*

    ResponderExcluir